quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

15 Coisas legais que aconteceram em 2015




"A felicidade só é real quando é compartilhada."
(Into the Wild)


Sei que já estamos em fevereiro e é um bocado tarde para uma retrospectiva de 2015. Mas como o blog é novo e comecei este ano viajando de férias, ainda estou assimilando muitas coisas que aconteceram.

O ano que passou não foi meu melhor ano. Mas houve alguns pontos altos e momentos ótimos e inesquecíveis, e acho importante focar sempre nas melhores partes. Afinal, o mundo é tão cheio de belezas e alegrias, que temos que aproveitar bem, certo?

Então, num exercício de positividade e gratidão, listei 15 coisas legais que aconteceram em 2015 pra compartilhar com vocês! ;)

1 - Já posso pilotar moto!

No segundo semestre de 2014 passei alguns meses em Brasília e aproveitei para fazer um curso intensivo de inglês e tirar habilitação para carro e moto. Comecei 2015 fazendo as provas práticas. Reprovei para carro, e não tive tempo de remarcar outro teste porque tinha que voltar ao Japão em poucos dias. Mas passei na prova de moto, e minha mãe me enviou a carteira alguns meses depois. Ainda não tenho a moto, mas já tenho habilitação pra pilotar uma, hehe!

2 - 100 anos da minha bisavó

Me sinto orgulhosa ao pensar nas mulheres fortes e afetuosas que tenho na família. Minha bisavó Antônia é uma delas. É preciso um coração muito forte pra viver 100 anos. Não é fácil, não. E é preciso muita determinação e amor. E a bisa é assim, a personificação do carinho de quem costurava bonecas de pano à mão para nos presentear no Natal, e quem sempre trouxe afeto pros nossos dias. Já faz alguns anos que não vejo minha bisa, mas sempre lembro com saudades das tardes no sítio, dos almoços de Natal em família. Lembro da coragem destemida dela, toda delicada, cabelinhos brancos, vestido florido, retirando a cobra que tentava atacar o ninho de passarinhos na luminária do quintal! Ano passado a bisa comemorou seus incríveis 100 anos de vida! Agora já são 101 anos completos de muito amor! 

3 - Exposição de miniaturas em Tokyo

Eu já tinha ido a uma pequena exibição de miniaturas em 2014, num shopping em Shinjuku, e foi a primeira vez que vi ao vivo os trabalhos do Ichiyoh Haga, que eu já conhecia pelo Facebook desde o Brasil. Mas a exposição que fui ano passado em Chiyoda teve um sabor especial. Era uma mostra exclusiva de trabalhos do Sensei Haga e dos seus alunos. Eu só fui no último dia, no último momento, e aproveitei a hora final antes de a exposição encerrar. Não deu tempo de ver todos os trabalhos, mas pude fotografar alguns. O melhor foi a chance de conhecer pessoalmente o Sensei Haga e alguns dos seus alunos, e conferir ao vivo os trabalhos magníficos que todos apresentaram lá. Este primeiro contato foi muito especial porque foi o início de alguns dos meus melhores momentos em Tokyo.



4 - Primeira tentativa de Snowboard

No final do último inverno fomos num grupo de amigos para o Marunuma Ski Park, na região montanhosa de Gunma, distante cerca de 200 km de Tokyo. Eu nunca tinha esquiado, nem nada parecido, nem mesmo andado de skate! Às vezes é legal fazer coisas novas e desafiar os limites do corpo, mas essa foi uma das vezes que isso não deu muito certo, hehe! Como eu sou muito descoordenada e sedentária ativa, achei muito difícil permanecer em pé na prancha de snowboard por mais que alguns poucos metros. É preciso ter força nas pernas pra se manter em pé, e eu realmente não estava preparada. Levei muuitas quedas! Nos dias seguintes fiquei acabada de dor! Ficou claro o tanto que preciso praticar alguma atividade física, inclusive pra desenvolver mais força. Mesmo assim foi uma experiência bem legal, passamos um dia ótimo com amigos e o cenário com montanhas e florestas de pinheiros cobertos de neve era deslumbrante!

5 - Comecei aulas de miniaturas com o Sensei Ichiyoh Haga

Depois que tive a chance de conhecer o Sensei Ichiyoh Haga, passei a fazer aulas de miniatura no estúdio dele, com encontros mensais! Ao longo do ano frequentei uma turma onde aprendi a reproduzir uma tradicional casa japonesa na escala 1/80. Aprendi a trabalhar com solda e fazer uma escada articulada e uma cadeira, ambas em metal com solda, na escala 1/12. No final do ano comecei outra aula de uma fachada clássica parisiense na escala 1/12. O privilégio de conhecer o Sensei e fazer aulas com ele de fato era algo que não estava nem nas minhas maiores ambições de vida. Essa oportunidade foi realmente uma surpresa inesperada e tenho aproveitado bastante!

6 - Um ano em Tokyo

Passei o último intervalo de ano praticamente inteirinho em Tokyo, com apenas algumas saídas para lugares de regiões próximas. Isso significa que tive a chance de acompanhar aquilo que mais amo no Japão: todas as estações do ano muito bem definidas, do início ao fim, assistir o florescer e desfolhar das cerejeiras, sentir a mudança gradual do tempo e da temperatura. Fiz muitos amigos, passeei o quanto pude pela cidade, conheci diferentes lugares, treinei um pouco de fotografia e andei muuito de metrô - coisa que adoro fazer em Tokyo! Tentei ocupar meus dias da melhor forma!

7 - Aprendi novas receitas

E entre os momentos de aproveitar o tempo, também aprendi receitas novas. Porque estando longe do Brasil, por melhor que seja nossa situação, a gente acaba passando vontade de comer várias coisas que não estão mais ao alcance rápido. Tipo aquela coxinha com catupiry e o pão de queijo que a gente encontrava fácil na padaria da esquina. Aí quando a saudade bate, o jeito é botar a mão na massa e tentar fazer em casa. E eu, que não sou tão boa de cozinha e nunca gostei de cozinhar por obrigação, de repente me vi testando receitas de pão de queijo, massa de pizza, pão e outras coisas que jamais tinha imaginado fazer porque nunca tinha achado necessário!



8 - Fui à praia em Moriya

No final da primavera aproveitamos a semana de feriado da Golden Week para conhecer outros lugares nas proximidades de Tokyo. Assim, pela primeira vez fomos à uma praia japonesa. Estava ainda um pouco frio, e a praia decepcionou um bocado pela sujeira. Tinha muito lixo nas areias. Mas o caminho no percurso era muito bonito e foi um dia agradável. A praia tinha areia bem escura, muitas rochas na entrada da água, repletas de conchas e caranguejos e muitas algas boiando no mar. Achei super curioso ver de perto os tetrápodes, que são os enormes blocos de concreto que os japoneses espalham pelas praias para conter as ondas marinhas, especialmente em casos de tsunamis.

9 - Visitei o Ashikaga Koen

Durante a Golden Week, além da praia em Moriya, fomos também ao Ashikaga Flower Park, localizado em Tochigi. O parque é famoso sobretudo pelas suas maravilhosas glicínias, que estão entre as maiores e mais antigas do mundo. Alguns exemplares do parque têm mais de 140 anos, ocupam extensas áreas e possuem cachos pendentes de flores com mais de um metro de comprimento. É impressionante andar por baixo das copas e admirar a beleza ímpar das floradas em tons de rosa, púrpura, branco e amarelo. O lugar é realmente encantador, de um êxtase contemplativo, e um dos mais belos em que já estive.

10 - Encontros de brasileiros da PL

A Perfect Liberty é uma religião ecumênica de origem japonesa, que possui influências Xintoístas e Budistas. Ano passado a Igreja de Shibuya organizou alguns encontros para brasileiros, praticantes ou não da religião. Foi uma boa oportunidade de conhecer a PL, um pouco mais sobre a cultura japonesa, e receber bons conselhos e ensinamentos. Encontramos conterrâneos, fizemos amigos e matamos um pouco a saudade da nossa gastronomia, já que ao final dos encontros fazíamos um piquenique onde cada um levava um prato.

11 -  Fiz aula de maquiagem com o Paladini

A primeira coisa que tenho que dizer é que o Paladini é um doce e um profissional super talentoso! Ele é brasileiro e trabalha como maquiador profissional no Japão. Quando nos conhecemos, eu estava precisando dar um up no ego. Eu não me sentia muito bonita na época, queria aprender a me maquiar e não sabia por onde começar, então marcamos uma aula. Foi um dia muito legal, ele me deu várias dicas e teve muita paciência ao tirar todas as minhas dúvidas! Além de trabalhar com maquiagem tradicional, o Paladini também faz maquiagem de efeitos especiais, desenha, pinta, esculpe, dá cursos e aulas particulares e escreve uma coluna na revista IPC no Japão.





12 - Escalei o Monte Fuji

Sim, eu fiz isso! A escalada do Monte Fuji foi de longe a coisa mais incrível que fiz ano passado e uma das melhores experiências da minha vida! Eu morro de medo de altura. Muito. Mas tipo muito mesmo! Não consigo ficar em pé numa escada de um metro sem sentir vertigem e medo de cair. Mesmo assim eu fui. Foi um desafio de superação gigantesco! Subir aqueles 3.776 metros não foi nada fácil. Fizemos a subida à noite. Tinha horas que minha vontade era de engatinhar. E teve momentos que eu engatinhei, hehe! Não há palavras que expressem com exatidão a emoção que senti e a beleza espetacular que foi assistir ao nascer do sol lá do alto da 8ª estação, a 600 metros do topo! Nunca vou esquecer esse dia. Foi intenso e único!

13 - Japan Guild Miniature Show

Japão tem muitos miniaturistas, tem associações afins organizadas, muitas lojas de materiais para cultivar o hobby, muitos livros sobre o tema, cursos, exposições, e também tem uma feira anual, que é a Japan Guild Miniature Show. Consegui me programar com antecedência pra ir na última edição. Foi a primeira vez que fui em uma feira de miniaturas. Foi durante um final de semana na região de Asakusa e era tanta coisa bonita pra ver que acabei indo nos dois dias. Vi trabalhos maravilhosos, comprei algumas peças e kits, fiz amizades, conheci grandes artistas do Japão e de outros países. Ao final de cada dia ainda aproveitei para passear pelo Templo Senso-ji de Asakusa e admirar a bela iluminação noturna das construções.

14 - Voltei a cuidar mais de mim

Uma das certezas e percepções que 2015 me trouxe foi de como o tempo e a negligência têm marcado meu corpo e minha saúde. Assim, no último ano comecei a ficar mais atenta às minhas necessidades físicas e emocionais e me dediquei a cuidar mais de mim. Passei a meditar, voltei a fazer alongamentos e comecei a treinar yôga. Também melhorei a alimentação, voltei ao meu peso normal, revisei hábitos, cortei vícios e tenho aprendido a controlar meus medos e ansiedades.

15 - Laços de amor

Estar distante e passar tanto tempo isolada me fez repensar e ressignificar vários vínculos afetivos, de amizade, familiares e outros. Sob novas perspectivas é possível enxergar as relações de outras formas e ver a importância e a influência que cada uma tem para nós. Às vezes é um pouco doloroso e confuso lidar com o afastamento, com as pessoas que entram e saem das nossas vidas, com os caminhos que se encontram ou se divergem, com relações que expandem nosso universo enquanto outras se tornam mudas. Mas acho que faz parte da maturidade aceitar isso e entender que dedicar nossa atenção às pessoas que nos amam é um das melhores formas de valorizar esse tempo que corre tão rápido. =)

Nem sempre as coisas ocorrem da forma como planejamos - e no meu caso, isso têm sido uma constante. O que nem sempre é ruim, porque às vezes a vida maneja tudo de uma forma melhor do que pensamos e nos presenteia com algumas boas surpresas. Comecei o ano passado sem saber o que me aguardava e fiz vários planos que acabei não alcançando. Por outro lado, tive chances de viver momentos incrivelmente fantásticos que eu jamais havia imaginado e eu me sinto imensamente grata por isso! Escrever esse post me fez reviver a delícia de cada uma dessas lembranças recentes e eu fico feliz de poder compartilhar tudo aqui!

E você? Quais foram as coisas legais que aconteceram no seu último ano? Quais são seus planos para este ano? Me conta, vou adorar saber! ;)

Um beijo!

Sarah Wero

Nenhum comentário:

Postar um comentário